Os “Long Way to Alaska” seleccionaram a brandit copy para a duplicação do seu álbum de estreia “Eastriver”, assim como, a aquisição da embalagem personalizada Digipak. Depois do EP de quatro faixas “melodies to greet sunrise and feed sunset”, a banda surpreende com a sua maturidade e evolução.

Long Way to Alaska:
Conheça os Long Way to Alaska, a nova banda a sair da incubadora bracarense e que promete conquistar o público português. Depois do EP de quatro faixas “melodies to greet sunrise and feed sunset”, a banda estreia-se com o álbum “Eastriver”. Um obra muito mais amadurecida que só vem comprovar a evolução surpreendente que os Long Way to Alaska têm ultrapassado.

Elementos dos “Long Way to Alaska”
Lucas Carneiro
Nuno Abreu
Gil Oliveira
Gonçalo Peixoto

Alinhamento Musical de “Eastriver”
Long Beach Palm Trees
Flamingos
United Colors of Patapon
Nandaio!
Lovers’ Lollypops
Sea of Two
Bad Bears
Growing
Sicilian
Children’s Song Nº.1

Fontes
www.myspace.com/longwaytoalaska/
www.myspace.com/LongWaytoAlaskaband

Comentários sobre “Long Way to Alaska”
«Long Way to Alaska “transparece uma paisagem, um caminho, uma evolução por que vamos passando”. Uma música de imagens, uma imagem feita com sons suaves, vozes melódicas, sem recurso a qualquer agressividade sonora e com ajuda de sons da natureza, como o insistente som dos pássaros (conferir em “Oh Bird!”, um dos quatro temas do EP de estreia lançado no final de 2009). “Usamos guitarras, baixo , percussão e uns pássaros no disco… (risos)”, sintetiza Nuno Abreu. “Mas temos tendência a procurar sons alternativos, diferentes, outros instrumentos”, acrescenta Gil Oliveira, outro dos elementos do grupo. » por André Gomes

«…Quem viu pela primeira vez os Long Way to Alaska em Dezembro do ano passado, na (admitamos) aborrecidíssima abertura do concerto portuense de Scout Niblett, não acreditaria que a banda de Eastriver é a mesma que pisou o palco do gelado cinema Passos Manuel. Ou melhor: ninguém apostaria que, sensivelmente um ano após os seus primeiros concertos, os Long Way to Alaska conseguissem mostrar tamanha evolução…

Os Long Way to Alaska não só já não são “a banda daqueles miúdos de Braga”. Espera-se que Eastriver leve o quarteto a salas de todo o país (e, porque não, da Europa). Ou mesmo ao outro lado do oceano. Caso tal não aconteça, fica a consolação de terem lançado (para já) um dos discos mais surpreendente do ano por estes lados. Their own private Alaska.» por Diogo Soares Silva

«Após o sucesso do EP “Melodies to Greet Sunrise and Feed Sunset”, em 2009, o jovem quarteto originário de Braga viu o seu percurso preenchido com actuações em algumas das mais prestigiadas salas do País, tais como a Casa da Música, Teatro Municipal da Guarda, Theatro Bar, Cabaret Maxime, Teatro de Vila Real, Centro Cultural Vila Flôr, Teatro Clube de Alpedrinha, entre outros. Já este ano a banda minhota, de sonoridade folk e pop, foi reconhecida pelo seu trabalho valendo-lhe a primeira parte do concerto dos britânicos The XX, na Aula Magna, em Lisboa.» Nota de Imprensa

«Gonçalo, Gil, Lucas e Nuno, aliam doces imaginários instrumentais a cordas vocais em estado de rebentação de uma flora fresca despida. Depois do EP Melodies To Greet Sunrise And Feed Sunset, os Long Way to Alaska aspiram por novas paisagens prendadas de caminhos longos com o disco de estreia Eastriver.» Por FNAC